quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

De repente, na última sessão da noite...

Qual não foi a minha surpresa hoje a abrir o meu e-mail, num servidor da espanha, e ler a notícia, em espanhol, que procurei no site da globo.com para conhecimento de todos, com a manchete "Itália exibe 'Brokeback Mountain' com cortes e irrita homossexuais" (http://g1.globo.com/Noticias/Cinema/0,,MUL916696-7086,00-ITALIA+EXIBE+BROKEBACK+MOUNTAIN+COM+CORTES+E+IRRITA+HOMOSSEXUAIS.html), E aproveitei pra fazer o post de hoje, com uma xícara de Ang Lee, dois cubos de BrockeBack, uma hortaliça inteira de De repente, o inverno passado, acompanhadas no molho Itália.
andiamo a mangiare!!!
Separe bem O Segredo de BrokeBack Mountain (2005) e deixe de molho junto com o Ang Lee - Uma das mais interessantes histórias que a mente nem tão humana da Annie Proulx conseguiu criar estrgada pelo Diretor de Hulk e O Tigre e o Dragão. A sutileza da história, o romance entre iguais, sem estereótipos, sem feminices, com masculindade e desejo, com preconceito e promessa. A história, tão forte por si só, contar-se-ia tão bem se falasse por si própria, se fosse ouvida nos corredores, nas saunas. E por ter tal força, ultrapassou o seu diretor e se tornou um ótimo filme, que poderia ser um clássico, quem sabe um dia.

Adicione a notícia de que a Itália, além dos cortes impostos por Ang Lee, censura cenas do filme por acreditar saber tudo sobre o bem da humanidade, como resquício da pretensão de uma história católica (ingrediente não utilizado nessa receita, mas que precisava ser levado em consideração para explicações). Nesse momento, adicione lascas do filme De Repente, O Inverno Passado (2008) documentário dirigido por Gustav Hofer e Luca Ragazzi, um casal que vive junto há oito anos na itália, e se sentiu traído com o não cumprimento das promessas de campanha do primeiro ministro da Itália, Romano Prodi, da aprovação da união civil homossexual. O filme mescla cenas da parada gay, do gabinete dos ministros, da rotina do casal de diretores, de passeatas de ativistas contrários à união e a favor da família. Entre todas as cenas exibidas, mostra-se a morosidade do governo para estas questões. a influência política da igreja católica na roma, o pensamento retrógrado e aprisionado dos italianos, que utilizam argumentos infantis para combaterem a união civil homosseuxal. Infelizmente o filme também mostra o despreparo dos diretores para contrapor as idéias contrárias, que as vezes ficam tão evidentes, que quase me fez mudar de opnião, de repente, quase o inverno passa e gela os argumentos que tenho construído em minha cabeça a respeito desse assunto. Vale lembrar que tem cenas engraçadíssimas e muito carinho entre o casal, emociona.

Por fim, derrame o molho Itália sobre o prato, país este que entrou na minha vida nos últimos 4 meses, pelo intercâmbio de um grande amigo, que hoje, está voltando pro Rio. A Itália com todas as suas Piazzas, suas ruas antigas, suas lambretas, seus preconceiros, suas griffes caretas, sua cultura forjada para servir de arroto, e não de deleite entre um choppinho, um petisco, um olhar, uma vibração, uma emoção. A cultura na itália parece servir mais para colocá-los no patamar de berço do ocidente, e de pedestal, do que para ser compartilhada, crescida, fomentada, como o observado no meu consumo aqui no Brasil.

De qualquer forma, como toda cultura é válida, basta saber afinar seu crivo para absorver o que lhe aprouver, recomendo nesse post, vá à Itália - mas absorva a cultura desse povo e não sua arrogância (quando eu for eu posto melhores impressões aqui) - Veja O Segredo de BrokeBack Mountain (mas tente não dormir nas incontáveis cenas de ovelhinhas que Ang Lee insistiu em colocar para encher linguiça - e assista De repente, o inverno passado, mas, seja qual for a sua opnião, utilize argumentos mais fortes, tanto a favor quanto contra, e não os que se encontram primariamente inexplorados no filme.

Um comentário:

sabrina disse...

Tanto tempo já...mas me peguei pensando em você, no Leleco...fazer o que? Tô com saudades!! Amo vocês com força! Bjs da prima mãos de biscoito...

Sabrina
( sabrinalamonica@yahoo.com.br )